quarta-feira, abril 25, 2012

Aqui estou e estarei

São soluços inquietos os que pausam na minha garganta,
E adormecem com a minha fraqueza.
Lutar contra as minhas deficiências tem se tornado uma luta diária.
Procuro em mim mesma forças para vencer.
Sou inimiga do meu eu.
Tenho engolido lágrimas, ao ponto de sentir minhas veias cheias.
Às vezes ocorrem vazamentos.
Enxugo tudo, limpo a bagunça.
E quase sem forças, escrevo.
Não posso me deixar morrer.
Então escrevo.
Aqui estarei sempre que sentir minhas veias cheias novamente.