sábado, dezembro 31, 2011

Dor com data marcada

As datas ainda doem
Os dias ainda deixam marcas irreversíveis
Não conseguir reverter esse quadro beira o desespero
De algo
Que parece nunca chegar ao fim
A sua solidão.
A tempestade batia a porta insistindo para entrar
Dentro de si
Batia um coração desesperado querendo apenas 
Ficar só.
As horas passaram levando consigo
Mais um gole de lágrimas
Mais caquinhos de um coração pequenino. 
Mais uma data.

2 comentários:

Camila disse...

Só assim para eu conhecer esse blog.. :] Dona Thais, que texto lindo esse seu!
E as datas doem, sim. Agora, sem dúvidas, ela é o melhor rémedio para o crescimento (o tempo).
Grande beijo.
Até breve.

Leonardo Teófilo disse...

Como é bom vir aqui e encontrar a porta aberta (:

Postar um comentário